Seleção de Fornecedores: uma análise multicritério do processo de escolha de fornecedores em um jogo de empresas

Autores

  • Ana Clara de Oliveira Costa Universidade Federal Fluminense
  • Arthur Nunes Lopes Universidade Federal Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.20401/lagos.14.1.392

Palavras-chave:

Jogo de empresas, Simulação, Seleção de fornecedores

Resumo

Esse estudo tem como objetivo analisar os critérios de decisão mais influentes para a escolha de fornecedores por parte de empresas simuladas, dentro do ambiente do Jogo de Empresas. A pesquisa utilizou-se do método proposto por Kahraman, Cabeci e Ulukan (2003) que consideram 4 tipos de critérios a serem avaliados: critérios relativos aos fornecedores, critérios acerca dos produtos, critérios acerca dos serviços e critérios de custos; também foram avaliados os critérios acerca do relacionamento entre as empresas. A pesquisa se caracteriza como descritiva e apresenta abordagem quantitativa. Como método, foi adotado o levantamento de dados (survey), tendo como público-alvo os representantes dos atacados fictícios participantes do Jogo de Empresas promovido pela disciplina Laboratório de Gestão Simulada da Universidade Federal Fluminense. Verificou-se, a partir dos resultados obtidos, que os critérios relativos aos fornecedores, custos e relacionamento das empresas são aqueles que apresentam maior influência sobre o processo decisório.

Biografia do Autor

Ana Clara de Oliveira Costa , Universidade Federal Fluminense

Graduação em Administração, UFF, Volta Redonda, RJ

Arthur Nunes Lopes, Universidade Federal Fluminense

Graduação em Administração, UFF, Volta Redonda, RJ

Referências

Bastos, R. D. O. (2016). Proposta de aprimoramento do processo de avaliação e seleção de fornecedores: uma aplicação ao caso do Instituto Federal do Tocantins.

Claro, D. P., & Claro, P. B. D. O. (2004). Gerenciando relacionamentos colaborativos com fornecedores. Revista de Administração de Empresas, 44(4), 68-79.

Viana, J. C., & Alencar, L. H. (2012). Metodologias para seleção de fornecedores: uma revisão da literatura. Production, 22(4), 625-636.

Babb, E. M., Leslie, M. A., & Van Slyke, M. D. (1966). The potential of business-gaming methods in research. The Journal of Business, 39(4), 465-472.

Perucia, A., Balestrin, A., & Verschoore, J. (2011). Coordenação das atividades produtivas na indústria brasileira de jogos eletrônicos: hierarquia, mercado ou aliança?. Production, 21(1), 0-0.

Brasil, H. G. (1993). A empresa e a estratégia da terceirização. Revista de Administração de Empresas, 33(2), 6-11. Rezende, W. (1997). Terceirização: a integração acabou?. Revista de Administração de Empresas, 37(4), 6-15.

Che, Z. H., & Wang, H. S. (2008). Supplier selection and supply quantity allocation of common and non-common parts with multiple criteria under multiple products. Computers & Industrial Engineering, 55(1), 110-133.

Christopher, M. (2000). The agile supply chain: competing in volatile markets. Industrial marketing management, 29(1), 37-44.

Vanalle, R. M., & Salles, J. A. A. (2011). Relação entre montadoras e fornecedores: modelos teóricos e estudos de caso na indústria automobilística brasileira. Gestão & Produção, 18(2), 237-250.

Kahraman, C., Cebeci, U., & Ulukan, Z. (2003). Multi?criteria supplier selection using fuzzy AHP. Logistics information management. Beamon, B. M. (1999). Measuring supply chain performance. International journal of operations & production management.

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. Editora Atlas SA.

GONTIJO, F. E. K., de Paula Dias, A. M., da Silva Dias, J., & Araújo, T. S. (2010). Estratégia de fornecimento na indústria de duas rodas: um estudo de caso de comakership. VI Congresso Nacional de Excelência em Gestão.

Martins, P. G., & Alt, P. R. C. (2009). Administração de materiais e recursos patrimoniais. São Paulo: Saraiva.

Marins, M., & Pasqual, C. (2012). Comakership: um escopo inovador no conceito de alianças estratégicas logísticas. Revista Teoria E Evidência Econômica, 18(39).

Schafranski, L. E. (2002). Jogos de gestão da produção: desenvolvimento e validação.

Martinelli, D. P. (1988). A utilização dos jogos de empresas no ensino de administração. Revista de Administração, 23(3), 24-37.

Pretto, F., Filardi, F., & de Pretto, C. (2010). Jogos de empresas: uma estratégia de motivação no processo de ensino e aprendizagem na teoria das organizações. Revista Eletrônica de Estratégia & Negócios, 3(1), 191-218.

Downloads

Publicado

2023-07-05

Como Citar

COSTA , Ana Clara de Oliveira; LOPES, Arthur Nunes. Seleção de Fornecedores: uma análise multicritério do processo de escolha de fornecedores em um jogo de empresas. REVISTA LAGOS, [S. l.], v. 14, n. 1, p. 4–11, 2023. DOI: 10.20401/lagos.14.1.392. Disponível em: https://www.lagos.vr.uff.br/index.php/lagos/article/view/392. Acesso em: 16 jun. 2024.

Edição

Seção

Relatos técnicos